Dois Corpos Podem Estar ao Mesmo Tempo em Lugares Diferentes?

thomas_aquinas2

Essa é uma tese fundamental do Tomismo que foi negada por Duns Scot e Suarez. De fato, Deus suspendeu essa lei em algumas ocasiões, como quando Cristo saiu de sua tumba sem remover a pedra que a fechava, e como o mesmo Jesus Cristo nasceu da Virgem Maria sem violar sua virgindade. Segundo a doutrina de São Tomás, o que Deus não pode fazer é  permitir que dois corpos estejam no mesmo lugar de maneira circunscrita.

Essa presença no mesmo lugar pode ser à maneira dos corpos, ou à maneira da substância, ou de uma maneira mista.

O primeiro modo, nos diz a filosofia Tomista, declara que um corpo possua dimensões que se apliquem em algum lugar, e que todo o sujeito e suas partes sejam adequadas ao lugar, como a água está em um vaso.

O segundo modo é indivisível, e de alguma maneira espiritual, sendo que é próprio da substância estar inteira no todo e inteira em cada parte. Isso se dá na Eucaristia, onde o corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo está presente, e pode estar em vários lugares ao mesmo tempo.

O terceiro modo é a maneira mista, de forma que um corpo está em um lugar ao modo natural, e em outro à maneira de substância, da mesma forma em que o corpo de Cristo está no céu pela presença circunscritiva, e sobre o altar de maneira sacramental, pois é o que confirma o Concílio de Trento. O que não é possível, segundo São Tomás, é que o corpo esteja em várias partes de maneira circunscrita( “quod corpus esse in duplici loco circumscriptive est ponere duo contraria simul”).

Um corpo quando está adequado a um determinado lugar se esgota totalmente, e por isso não pode levar suas partes para outro lugar, pois é impossível.

O relato dos milagres dos santos que apareceram em dois lugares diferentes ao mesmo tempo é devido que o santo permanece no mesmo lugar, mas um anjo aparece com a forma do santo em outro local, e age em seu nome.

Portanto, São Tomás de Aquino mantém uma distinção entre impenetrabilidade e bilocação. A primeira é o efeito secundário da quantidade, e a essência da quantidade exige que cada parte seja distinta da outra. A consequência exige que cada parte ocupe um lugar distinto uma da outra. Um corpo pode penetrar o outro por milagre, pois este suspende apenas um efeito secundário, permanecendo as partes distintas em si mesmas.

A bilocação seria uma contradição, pois faria da dimensão de um a dimensão de dois ou três.

Na filosofia de São Tomás, a essência dos corpos é composta de potência e ato, e depois de matéria e forma. São desses dois elementos substanciais, parciais e incompletos, que resulta a união que forma uma natureza específica. A substância corpórea é feita de quantidade, que estende a substância em partes integrais, e com isso marca a matéria, constituindo assim o princípio de individuação, tornando impossível que um corpo esteja ao mesmo tempo em lugares diferentes.

Bibliografia: Édouard Hugon, Os princípios da Filosofia de São Tomás de Aquino-Edipucrs, 1998.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: