Algumas citações de Proclo de Constantinopla contra o Evolucionismo

proclus imagem

Como já havia afirmado em uma postagem anterior, o evolucionismo é algo curioso: como ciência nunca foi provado, e olha que já faz 150 anos! E o que é pior, ele simplesmente é irrefutável como “ciência”. O que sugeri naquele post foi que o evolucionismo só pode ser debatido- e refutado- quando trazido para o campo da filosofia. Para mim, o evolucionismo é filosofia, e não ciência. Se seus argumentos podem ser colocados em confronto com a filosofia ( e não com a teologia ), então tudo fica mais fácil. Utilizarei apenas algumas passagens rápidas do grande filósofo e matemático neoplatônico Proclo Diádoco para que fique claro aquilo que já falei antes. Só precisamos utilizar a razão.

O esquema evolucionista é simples: o inferior gera o superior. Então temos: em primeiro lugar a “misteriosa” célula original. Depois segue-se: seres aquáticos- peixe com pata que sai para a terra -anfíbios- répteis- mamíferos- macaco, e,por fim, o homem. Ora, o que vem depois do homem? Nietzsche respondeu: o além-do-homem, aquele que está acima do Bem e do Mal, mas isso é outra história…

Portanto, fica claro que no evolucionismo o inferior sempre gera o superior. A ciência jamais provou isso, mas também não desmentiu… Vejamos se em termos filosóficos isso é possível.

Na verdade o inferior só gera o superior na pseudofilosofia de Karl Marx, onde o ser humano (inferior ) gera o superior ( Deus ). É algo tão estapafúrdio que nem merece comentário, mas tem gente que defende isso!

As passagens a seguir foram retiradas da obra Elementos de Teologia ( a.k.a Liber de Causis ), de Proclo. No caso, a proposição citada é a VII. A tradução é minha e foi feita a partir da versão inglesa de Thomas Taylor.

“Toda coisa que produz outra é melhor do que a natureza daquilo que é produzido”

“Pois aquilo que é produzido ou tem em si mesmo um poder de produzir alguma outra coisa ou é inteiramente não prolífica. Mas se não é prolífica, por esta razão será inferior e desigual ao seu produtor, que é prolífico e tem o poder de produzir. Se esse ser produz outros, ou produz aquilo que é igual e esses seres serão iguais, e nenhum será superior ao outro.”

“É da competência de poderes iguais produzir coisas desiguais.”

“Não é certo que aquilo que é produzido seja igual àquilo que produz.”

“Além do mais nada daquilo que produz jamais poderá ser inferior àquilo que é produzido, pois aquilo que produz comunica sua essência para o ser produzido, e também vai suprir sua produção com um poder substancial.”

“Tudo aquilo que quer produzir algo mais perfeito  precisa, antes de tudo, tornar-se perfeito antes de aperfeiçoar aquilo que é posterior a si próprio. A coisa produzida dessa forma, não é nem igual nem melhor do que a causa produtora. A conclusão, portanto, é que a causa produtora é sempre melhor em sua natureza do que a coisa produzida por ela.”

A conclusão é simples: a filosofia antiga já havia refutado as alegações “religiosas” do evolucionismo darwinista.

Comments

  1. Antenor says:

    O evolucionismo é uma grande fabula e uma aberração ontológica, onde o mais vem do menos, o perfeito do imperfeito… Parabéns pelo site Felipe.

  2. Flavio says:

    Antes de criticar ou comentar sobre algo é bom pelo menos conhecer ou estudar o mínimo daquilo que se quer criticar.
    Vc como filosofo deve saber muito bem isto.

    Pois bem; onde, em qual livro, em qual referência vc encontrou essa pérola de que “no evolucionismo o inferior sempre gera o superior”?

    Da sabendo legal heim?!?
    Melhor voltar para as aulas de evolução do ensino médio antes de fazer essas críticas.

  3. Faça um favor a si mesmo:

    Vai estudar.

    Inclusive, Filosofia.

    • Quando a pessoa não sabe do que está falando e não entendeu a argumentação principal ela sempre apela para esse famoso “vá estudar”. Bom, eu estudo bastante e escrevo meus textos tentando ensinar o máximo que aprendo a quem visita o meu site.

    • Aliás, esse comentário “vá estudar” é tão ridículo porque o artigo fala sobre Proclo, que é um filósofo que raríssimos estudantes universitários brasileiros sabem que existiu ( vc mesmo só sabe que ele existe porque leu no meu site e depois foi pesquisar com mais detalhes na Wikipedia). Estudante universitário de filosofia no Brasil estuda os mais insignificantes “filósofos” marxistas, mas sobre o Proclo dá para contar nos dedos aqueles que conhecem de quem se trata.

%d blogueiros gostam disto: