Sobre a filosofia de Aristóteles segundo Werner Jaeger

cuddeback2

Devemos reconhecer que existe algo de extraordinário ao lermos o Aristóteles de Werner Jaeger (como também as interpretações neoplatônicas do Estagirita): vermo-nos livres de abordagens dogmáticas e mistificadoras de apologistas católicos (jesuítas, tomistas e neotomistas)! [Read more…]

A Dialética em busca da Verdade

220px-Hegel_portrait_by_Schlesinger_1831

“Então Hegel pode justificadamente dizer que este mundo é “pervertido” (verkehrt) em si mesmo, a perversão de si mesmo, porque não é meramente o oposto. O verdadeiro mundo, ao contrário, é ao mesmo tempo a verdade projetada como um ideal e sua própria perversão. Agora se temos em mente também que um dos principais objetivos da sátira é expor a hipocrisia moral, a inverdade do mundo como ele é supostamente para ser, a verdadeira mordacidade do verkehrt torna- se aparente. A perversão da verdadeira realidade torna-se visível atrás da sua frente falsa desde que em todas as instâncias satíricas o retrato é “o oposto em si mesmo”, seja se isso tome a forma de um exagero, a inocência em contraste com a hipocrisia, ou seja o que for.


[Read more…]

Proclo e a demonstração da existência dos entes matemáticos

proclus imagem

A filosofia platônica é extremamente rica em analogias matemáticas que sempre impressionaram quase todos aqueles que a estudam. Um filósofo famoso que não ficou muito impressionado com tudo isso foi Aristóteles. Sua aversão à matemática da filosofia de Platão foi transportada para sua obra Metafísica. É bem conhecida sua recusa a admitir a existência dos Entes Matemáticos intermediários. Aristóteles, e seu discípulo medieval São Tomás de Aquino, não conseguem conceber a matemática como sendo independente da matéria. [Read more…]

Platão e o problema dos Universais

Platão busto

O problema dos universais teve duas visões que moldaram todas as discussões posteriores. A opinião de Aristóteles é de que os Universais participam no sensível, e não existem separados dele como Platão acreditava. Esse último acreditava, de acordo com São Tomás, que o Homem não existiria em coisas particulares, mas a Ideia do homem seria separada de qualquer particular. Aristóteles rejeitava a definição do Universal como sendo uma substância, mas dizia que o Universal é conhecido através da experiência sensível de objetos particulares. Porfírio dizia que os Universais de Aristóteles são incorpóreos, mas estão juntos ao sensível. [Read more…]

O princípio de individuação na tradição platônica e aristotélica

Platão busto

Um dos temas mais fascinantes em filosofia é a questão do princípio de individuação. Nesse artigo, vou abordar como cinco filósofos enfrentaram esse problema e suas respectivas soluções. São eles: Platão, Aristóteles, Proclo, Tomás de Aquino e Duns Scotus.

Pretendo começar por Aristóteles e São Tomás, porque os dois possuem uma opinião parecida e contrária à de Platão, Proclo e Duns Scotus. [Read more…]

A Ideia do Bem e da Paideia no Pensamento de Platão

 

 

Creation of the Universe

 

A Ideia do Bem e da Paideia no Pensamento de Platão

Felipe Pimenta

 

Resumo

A filosofia de Platão é a mais bela e completa que existe. O presente trabalho demonstrará que desde a criação de um universo como cópia da Ideia, passando por um mundo material que foi criado por um ato de bondade do Bem, até chegarmos ao filósofo que fará o papel de intermediário na comunicação desta obra de perfeição do universo aos homens que ainda estão presos na caverna, a filosofia platônica une a ideia do Bem à educação. O Bem está no centro do ensinamento da Paideia de Platão. Sua filosofia é uma inversão do princípio dos Sofistas para quem o homem era a medida de todas as coisas. Platão fará sua filosofia criar uma teologia verdadeira para o homem. Nela Deus é a medida de todas as coisas. O desejo de criar um homem que contemple a ordem da criação e através da educação passe a ter domínio de si mesmo representa todo o esforço e a beleza da filosofia platônica.

Palavras-chave: Platão.  Sócrates.  Werner Jaeger.  Eric Voegelin.  Giovanni Reale.Proclo.Paideia. Timeu.

Abstract

The philosophy of Plato is the most complete and beautiful that exists. This present work will demonstrate that since the Creation of the Universe as an image of the Idea, passing through a material world that was created as an act of indulgence by The Good, until we come to the philosopher that will make the role as the intermediate in the communication of this work of perfection of the universe to the men that are tied at the cave, Plato’s philosophy unite the idea of the Good with the education of men . The Good is in the core of the teaching of Plato’s Paideia. His philosophy is an inversion of the principles of the Sophists for who the man was the measure of all things. Plato will make his philosophy create a true theology for man. On his theology, God is the measure of all things. The desire to create a man that contemplates the order of the universe and trough education pass to have control of oneself represents all the effort and the beauty of Plato’s philosophy.

Keywords: Plato. Socrates. Werner Jaeger. Giovanni Reale. Eric Voegelin. Proclus. Paideia. Timaeus. [Read more…]

Review: Timaeus by Plato

 

Creation of the Universe 2

The narrative of the Myth of the Creation of the universe by Plato represents one of the greatest achievements of his philosophical mind. I’ll make an analysis of this dialogue by using the works of Proclus and Giovanni Reale to help me write this review.

[Read more…]

Análise do poema de Camões ” Transforma-se o amador na cousa amada”

Eros e Psique 2

Transforma-se o amador na cousa amada,
por virtude do muito imaginar;
não tenho, logo, mais que desejar,
pois em mim tenho a parte desejada.

Se nela está minha alma transformada,
que mais deseja o corpo de alcançar?
Em si somente pode descansar,
pois consigo tal alma está ligada.

Mas esta linda e pura semidéia,
que, como um acidente em seu sujeito,
assim como a alma minha se conforma,

está no pensamento como idéia:
[e] o vivo e puro amor de que sou feito,
como a matéria simples busca a forma. [Read more...]

Resenha de As Leis de Platão

Platão As Leis

No livro III de As Leis, o personagem O Ateniense( Platão) pergunta a Clínias qual é a origem das constituições. Esse pede ao Ateniense a explicação e esse conta um mito: no princípio, já existiam cidades e constituições, mas o grande dilúvio que destruiu o mundo ( que é narrado em seu diálogo Crítias) fez desaparecerem as cidades e as constituições. O Ateniense diz que é fácil de se presumir que apenas aqueles que viviam nas montanhas, isso é, os pastores conseguiram sobreviver.

[Read more…]

Resenha do Timeu de Platão

timeu-e-critias-ou-a-atlantida

Timeu é o diálogo mais difícil de Platão pelo fato de ser uma espécie de Gênesis dos gregos. O livro apresenta em uma forma resumida pelas palavras do pitagórico Timeu, os conhecimentos de medicina, matemática, cosmologia e psicologia do tempo de Platão. De fato há uma semelhança com a narrativa bíblica porque o Demiurgo platônico cria o mundo e vê que ele é bom. No Timeu o mundo criado, o homem e os animais são obra de uma inteligência que tudo criou com bondade e racionalidade. No começo tudo estava em desordem e ao acaso na natureza, até que ela se deixou persuadir pela Inteligência. Então Deus criou tudo de maneira boa e eliminou toda forma de imperfeição. Tudo o que o Demiurgo cria é sempre o mais belo segundo o mito da criação platônico.

[Read more…]